10 de outubro de 2009

Entrevista do Dr. Dráuzio Varella sobre ateísmo

video

O Dr. Dráuzio Varella é um dos homens mais inteligentes, notáveis e respeitados do Brasil, além de ser publicamente ateu.

Assista à entrevista de Dráuzio Varella para o programa Sempre Um Papo, onde ele fala com sinceridade e muita inteligência sua opinião sobre ateísmo e excomunhão da igreja.

9 de outubro de 2009

Colônia de férias para ateus


Uma colônia de férias de verão britânica está oferecendo uma experiência pouco comum para jovens de 07 a 17 anos. A iniciativa promove uma "alternativa sem deus", em oposição a acampamentos de verão mais tradicionais administrados por grupos religiosos.

Algumas das 24 crianças que chegaram ao acampamento Camp Quest, na cidade de Bruton, sudoeste da Inglaterra, pareciam jovens demais para lidar com conceitos tão amplos e complexos como religião e deus.

A colônia de férias tem uma missão ambiciosa. Ela é "dedicada a melhorar a condição humana através de questionamento racional, pensamentos críticos e criativos, e método científico e pela separação entre religião e governo".

O objetivo mais imediato, segundo os diretores, é ensinar cooperação, tolerância e empatia, através de atividades esportivas e brincadeiras.

Mas são as visões sobre algumas questões mais complexas da vida que a distingue das demais, sobretudo o tratamento da religião.

"Os participantes aprendem que o comportamento ético não depende de crença religiosa e doutrinas, que essas são às vezes um obstáculo para o comportamento moral e ético, que pessoas sem religião também são boas e totalmente capazes de viver uma vida feliz e cheia de significado", afirma o site do acampamento na internet.

A diretora da colônia de férias, Samantha Stein, afirma que as crianças são estimuladas a pensarem de forma independente.

"Se as crianças se depararem com uma questão como criacionismo, por exemplo, nós discutiríamos as evidências. Nós não diríamos 'criacionismo é bobagem", diz a diretora. "Elas pesarão os fatos e concluirão se isso é verdade ou não".

O pai de uma das participantes do acampamento ateu disse que já levou sua filha a outros acampamentos cristãos e que estava em busca de uma experiência mais ampla para a criança.

Leeroy Murray, pai de três meninos em Camp Quest, disse que não descartaria mandá-los a um acampamento religioso.

"A coisa mais importante para mim aqui é dar para eles uma variedade de experiências e estimular que eles entendam o máximo possível de religiões e de ciências, e dar a eles as ferramentas para que decidam por conta própria o rumo que querem seguir", disse Murray.

Os filhos de Leeroy parecem mais interessados nos aspectos menos filosóficos do acampamento.

"Eu quero fazer novos amigos, encontrar novas pessoas e fazer todas as atividades preparadas para nós", disse um dos filhos, de 9 anos.

"Eu gosto das atividades porque elas melhoram a sua saúde e fazem com que você esteja em forma", disse outro filho, de 8 anos.

Além das atividades esportivas e de lazer como escaladas, tirolesa, natação e canoagem, algumas brincadeiras procuram tratar de questões mais profundas.

A principal atividade "científica" do acampamento consiste em uma busca a dois unicórnios invisíveis.

Os instrutores dizem aos jovens que os unicórnios não podem ser vistos, provados, cheirados ou tocados. Eles também não conseguem fugir do acampamento e não se alimentam de nada.

A única prova da sua existência, segundo os instrutores, está contida em um livro muito antigo repassado por "inúmeras gerações".

O prêmio oferecido a qualquer criança que conseguir provar que os unicórnios não existem é uma raríssima nota de 10 libras (cerca de R$ 30), que traz a efígie de Charles Darwin (criador da teoria do Evolucionismo) e autografada por Dawkins (o mais célebre pensador ateu da atualidade).

Mas os jovens ateus precisarão quebrar a cabeça – até hoje mesmo após 23 edições do Camp Quest nos EUA, ninguém conseguiu levar o prêmio para casa.

Fora do acampamento, no portão de entrada, um solitário manifestante protesta contra o acampamento. Paul Arblaster, membro de uma igreja local, segura cartazes com mensagens críticas ao Camp Quest. Ele protesta também contra o exercício dos unicórnios.

"É claro que eu acho que existe uma pegadinha aí. Eles podem dizer que o exercício dos unicórnios não tem nada a ver com deus. Mas eu acho que é uma representação razoavelmente velada deste tipo de doutrina", disse o manifestante.

A diretora do acampamento rebate o argumento. "O objetivo é fazer com que as crianças pensem sobre coisas como ônus da prova", diz Samantha Stein.

"Quem precisa provar que os unicórnios estão lá... é a pessoa que diz que eles estão ou é a pessoa que diz 'Não, eu acho que eles não existem' ?"

O Camp Quest surgiu há 13 anos nos Estados Unidos, onde escoteiros e grupos religiosos são a maioria no mercado de acampamentos de verão – muito populares entre famílias americanas nas férias escolares.

A versão britânica dura cinco dias e custa 275 libras (cerca de R$ 900). Mesmo assim, a procura tem sido grande: já existe lista de espera até 2011.

8 de outubro de 2009

Argentina ganha campanha que propõe o desbatismo coletivo


O Estado de S.Paulo (13/04/2009) publicou que na Argentina algumas ONGs estão propondo um “desbatismo” coletivo para as pessoas que foram batizadas quando eram bebês na igreja católica e não desejam mais participar oficialmente dela, já que são ateias, agnósticas ou genericamente religiosas, mas indiferentes aos preceitos católicos.

O movimento denominado “No en mi nombre”, ou seja, “Não em meu nome”, propõe aos argentinos que não se consideram mais católicos que enviem cartas aos bispos das cidades em que foram batizados para que “conste oficialmente dos registros da igreja que não integram mais o rebanho”.

Em um único dia, 1.100 ex-católicos renunciaram à religião e pediram para se desbatizar. Atéo momento, milhares de pessoas já fizeram o mesmo.

O jornal Informa ainda que os ateus constituem um grupo em rápido crescimento naquele país, congregando 11,3 % da população.

Na página Apostasía Colectiva você encontra mais informações sobre a iniciativa e orientações de como cancelar seu batismo e retirar-se do catolicismo.

7 de outubro de 2009

Crentes acabam de lançar a Maldição do CD Pirata


Indignados com o crescimento da pirataria de CDs e DVDs, pregadores evangélicos estão lançando a seguinte maldição durante seus cultos: "Se você comprar ou colocar um CD ou DVD meu pirata, está amaldiçoado você, sua casa, seu cachorro, seu equipamento de DVD, sua TV, etc., etc., etc..."

Fazendo as contas, são milhões de lares amaldiçoados por esse Brasil afora! Isso sem falar de relógio pirata, gravata pirata, terno pirata, equipamento eletrônico pirata, tênis pirata, bolsa pirata, bíblia pirata, crente pirata, obreiro pirata, pastor pirata, pregador pirata, rádio gospel pirata, etc.

Misericórdia! Haja maldição!

6 de outubro de 2009

Pesquisas confirmam que países ateus são mais justos

Mulher sendo enterrada viva por religiosos no Irã

Sam Harris, famoso filósofo norte-americano, em “Carta à uma Nação Cristã”, mostra que os países mais desenvolvidos, justos e igualitários do mundo são compostos, em sua grande maioria, por ateus e não-religiosos.

Nações desenvolvidas, mas que são muito religiosas, como os Estados Unidos, possuem taxas de criminalidade, injustiça, desigualdade etc. menores que as dos países subdesenvolvidos, mas no entanto ficam muito aquém dos países ateus da Europa.

Os Estados Unidos são um país com alta taxa de criminalidade, ao contrário dos países “ateus” do norte da Europa. Sam Harris mostra ainda que a criminalidade na Europa poderia ser ainda menor se não fosse por conta da imigração.

Mostra também que na França, 70% dos detentos são muçulmanos. A quantidade de ateus nas prisões francesas é muito pequena.

Ao contrário do Brasil, onde o ateísmo não chega a 5%, portanto é normal não encontrar muitos presidiários ateus, na França existem muitos ateus, mas eles não saem por ai cometendo todos os tipos de crimes.

Sam Harris continua: “Noruega, Islândia, Canadá, Suécia, Suíça, Bélgica, Japão, Holanda. Dinamarca e Reino Unido estão entre as sociedades menos religiosas da Terra. De acordo com o Relatório do Desenvolvimento Humano das Nações Unidas (2005), essas sociedades também são as mais saudáveis, segundo os indicadores da expectativa de vida, alfabetização, renda per capta, nível educacional, igualdade entre os sexos, taxa de homicídio e mortalidade infantil.”

Dostoievski estava errado. É possível viver bem, justa e eticamente sem deus. Muitos acham que os ateus, por não acreditarem em deus, também não acreditam em valores morais, mas é justamente o contrário.

Ateus acreditam no bem, no amor, na igualdade e na justiça. Mas diferentemente dos crentes, os ateus pensam em tais coisas com bens em si mesmos. Não pensamos que devemos ser justos e morais porque se não fôssemos assim seríamos punidos por um ser superior, mas devemos ser justos e morais porque isso é o certo.

Se os ateus fossem mesmo os monstros devassos pintados pela religião e pela bíblia, como eles conseguiram formar uma sociedade mais justa e igualitária que os religiosos?

Zuckerman responde: “Não é necessário acreditar em deus para acreditar na justiça. De fato, se poderia argumentar que aqueles que acreditam fortemente em deus podem ser mais indiferentes e assumir que “tudo está nas mãos de deus”, enquanto que os seculares sabem que a possibilidade de construir uma vida e um mundo melhores está nas mãos deles e apenas deles. Por isso, os dinamarqueses e os suecos contam apenas com o seu próprio esforço.

5 de outubro de 2009

Jesus Cristo reencarnou no Brasil

video


Inri Cristo é a atual reencarnação de Jesus Cristo, nascido em Santa Catarina, em 1948, e é vivo até hoje, pregando sua filosofia e dando continuidade ao trabalho que interrompeu há 2000 anos atrás.

Após sua reencarnação, Cristo passou a ter uma visão mais liberal e amável do mundo, deixando para trás aquelas condenações, preconceitos, homofobia e atrocidades atribuídas a ele pela bíblia.

Hoje, Inri Cristo é uma pessoa amável, acessível, adora debater assuntos atuais e antenada com o mundo moderno. Ele nos ensina que pecado é apenas fazer conscientemente algo que prejudique a nós ou outra pessoa, mais nada, simples assim. Todo o resto não é pecado.

Neste vídeo-clipe suas discípulas, conhecidas por Inriquetes, apresentam uma versão mística da música Single Ladies, da Beyoncé. O objetivo é alcançar o público jovem com as mensagens de salvação do pai.

4 de outubro de 2009

O que significa sagrado?

Fiéis alimentando seus deuses sagrados

Essa é uma boa pergunta: o que afinal significa sagrado?

É uma palavra usada por todas as religiões, credos e seitas e costuma provocar arrepios (de medo ou de prazer) nos chamados "tementes a deus".

As vacas na Índia são... sagradas. Assim como a bíblia, mas afinal, o que isso quer dizer?

O Aurélio diz o seguinte:

Sagrado
adj. Consagrado ao culto: vasos sagrados. / Que recebeu a consagração, que cumpriu as cerimônias de sagração. / Relativo à religião ou ao culto. / Inviolável. / Venerável, respeitável: compromisso sagrado. // Fig. Fogo sagrado, sentimentos nobres e apaixonados: o fogo sagrado da liberdade. // Livros sagrados, o Antigo e o Novo Testamento; S.m. O que é sagrado: o sagrado e o profano. // Sagrado Coração, o Coração de Jesus, venerado pelos católicos.

Ou seja, se você espremer... não sai nada. Nadinha...

Então sagrado quer dizer "que recebeu a consagração". Isso é uma definição tão boa quanto dizer que uma pessoa bonita tem beleza... é um looping genial, dá a impressão de dizer muito e não diz nada.

Venerável é aquele que deve ser venerado, sabe-se lá porquê.

Inviolável... bem, aqui temos um significado interessante... por exemplo, quando dizemos que uma lei é inviolável, queremos dizer que não pode ser quebrada ou alterada, e não que ela foi escrita por deus.

Na verdade o que se observa é que quem decide o que é ou não sagrado somos nós, os humanos, sem qualquer ajuda do divino.

Adicione-se a chamada "autenticidade por antiguidade" e qualquer coisa que venha sendo chamada de sagrada por séculos a fio será, sem dúvida, algo que veio de deus e que, como tal, deve ser respeitada.

A bíblia, por exemplo: um livro de grande valor histórico mas que basicamente se compõe de lendas, tradições orais e contos milenares, mas com a palavra "sagrada" na capa imediatamente se transforma na "palavra do senhor", mesmo que tenha sido inteirinha escrita por pobres mortais.

Nenhum texto na história da civilização foi tão editado, adaptado, traduzido, editado de novo...

Os evangelhos, por exemplo, sabe-se que apenas 4 são "sagrados" mas na verdade foram escolhidos pela igreja, de acordo com seus interesses, dentre tantos outros que foram escritos.

Na Índia, existem mais de 3.000 deuses e até os ratos são sagrados. São construídos templos gigantes para os ratos, onde peregrinos alimentam e cuidam de milhões desses bichinhos. E uma tradição sagrada manda que humanos e ratos comam da mesma comida, nas mesmas vasilhas e pratos, e bebam do mesmo leite.

Para os tupis, o rio era sagrado, assim como a vaca dos hindus, uma pedra no alto da montanha ou uma árvore especial. Para uma coisa ser sagrada basta que alguém um dia diga que é e que outros acreditem e passem anos repetindo isso.

Assim, toda vez que se deparar com algo "sagrado", desconfie.

Fonte: Blog Lineu, o Ateu

3 de outubro de 2009

Deus é onipresente?

Forno de cremação em Auschwitz. Deus estava lá!

Segundo dizem, deus é onipresente, ou seja, está o tempo todo em todo e qualquer lugar.

Supõe-se que "qualquer lugar" refira-se ao universo todo. Cada cometa, cada planeta, cada sol, cada galáxia.

E aqui na Terra ele está o tempo todo em cada cidade, país, montanha, mar ou caverna. O tempo todo vendo, ouvindo e muitas vezes participando.

Bem, isso inclui a sala da sacristia onde o padre pedófilo assedia meninos. A sala do forno de Auschwitz. O convés do Titanic. As aldeias africanas onde crianças e mulheres são estupradas e depois mortas.

Hiroshima e Nagasaki, no momento em que as bombas explodiram. O porão daquele austríaco maluco que passou 20 anos violentando a própria filha. Deus estava lá, vendo tudo isso.

E, suprema ironia, deus está também no inferno. Onipresença é isso.

2 de outubro de 2009

Lista das principais religiões do mundo por número de seguidores


Cristianismo: 2,1 bilhões

Islamismo: 1,5 bilhão

Seculares / Sem Religião / Agnósticos / Ateus: 1,1 bilhão

Hinduismo: 900 milhões

Tradicionais Chineses: 394 milhões

Budismo: 376 milhões

Indígenas: 300 milhões

Tradicionais Africanos: 100 milhões

Sikhismo: 23 milhões

Juche: 19 milhões

Espiritismo: 15 milhões

Judaismo: 14 milhões

Baha'i: 7 milhões

Jainismo: 4,2 milhões

Xintoismo: 4 milhões

Cao Dai: 4 milhões

Zoroastrismo: 2,6 milhões

Tenrikyo: 2 milhões

Neo-Paganismo: 1 milhão

Unitários-Universalistas: 800 mil

Rastafarianismo: 600 mil

Cientologia: 500 mil

Fonte: Adherents

1 de outubro de 2009

Pesquisa revela que os ateus são mais inteligentes


O pesquisador britânico Richard Lynn dedicou mais de meio século à análise da inteligência humana. Nesse tempo, publicou quatro best-sellers e se tornou um dos maiores especialistas no assunto.

Nos últimos 20 anos, passou a investigar as relações entre raça, religião e inteligência. Ao publicar um trabalho na revista científica Nature, que sugeria que os homens são mais inteligentes, um grupo feminista o recepcionou em casa com o que ele chamou de salva de ovos.

O mesmo aconteceu quando disse que os orientais são os mais inteligentes do planeta. “Faz parte do ofício de um cientista revelar o que as pessoas não estão prontas para receber”, diz.

Ao analisar mais de 500 estudos, Lynn disse estar convencido da relação entre Q.I. alto e ateísmo. “Em cerca de 60% dos 137 países avaliados, os mais crentes são os de Q.I. menor”, disse. Seu trabalho foi publicado em outubro na revista científica Intelligence.

Professor emérito e chefe do Departamento de Psicologia da Universidade do Ulster, na Irlanda do Norte e Ph.D. pela Universidade de Cambridge, Lynn é um dos maiores especialistas em estudos de inteligência em raças e gêneros.

Ele publicou quatro livros sobre inteligência ligada à raça e ao sexo, entre eles Race Differences in Inteligence: an Evolutionary Analysis, e dezenas de artigos em revistas científicas, como a britânica Nature

Confira agora a entrevista que o Professor Richard Lynn concedeu à Revista Época:

ÉPOCA – Por que o senhor diz que pessoas inteligentes não acreditam em Deus?

Lynn – Os mais inteligentes são mais propensos a questionar dogmas religiosos. Em geral, o nível de educação também é maior entre as pessoas de Q.I. maior (um Q.I. médio varia de 91 a 110). Se a pessoa é mais educada, ela tem acesso a teorias alternativas de criação do mundo. Por isso, entendo que um Q.I. alto levará à falta de religiosidade. O estudo que será publicado reuniu dados de diversas pesquisas científicas. E posso afirmar que é o mais completo sobre o assunto.

ÉPOCA – Segundo seu estudo, há países em que a média de Q.I. é alta, assim como o número de pessoas religiosas.

Lynn – Sim, mas são exceções. A média da população dos Estados Unidos, por exemplo, tem Q.I. 98, alto para o padrão mundial, e ao mesmo tempo cerca de 90% das pessoas acreditam em Deus. A explicação é que houve um grande fluxo de imigrantes de países católicos, como México, o que ajuda a manter índices altos de religiosidade nas pesquisas. Mas, se tirarmos as imigrações ao longo dos últimos anos, a população americana teria um índice bem maior de ateus, parecido com o de países como Inglaterra (41,5%) e Alemanha (42%).

ÉPOCA – Cuba é um país mais ateu que os Estados Unidos, mas o nível de Q.I. não é tão alto.

Lynn – Você tem razão. É outra exceção. Pela porcentagem de ateus (40%), o Q.I. (85) dos cubanos deveria ser mais alto que o dos americanos. Mas há também aí um fenômeno não natural que interferiu no resultado. Lá, o comunismo forçou a população a se converter. Houve uma propaganda forte contra a crença religiosa. Não se chegou ao ateísmo pela inteligência. A população cubana não se tornou ateia porque passou a questionar a religião. Foi uma imposição do sistema de governo.

ÉPOCA – E o Brasil, como está?

Lynn – O Brasil segue a lógica, um porcentual baixíssimo de ateus (1%) e Q.I. mediano (87). É um país muito miscigenado e sofreu forte influência do catolicismo de Portugal e dos negros da África. Fica difícil mensurar a participação de cada raça no Q.I. atual. O que posso dizer é que a história do país se reflete em sua inteligência.